segunda-feira, 10 de maio de 2010

A carruagem de Platão

Em Fedro, Platão faz uma metáfora que fala profundamente comigo.

Ele compara o ser humano a uma carruagem, na qual os cavalos representam os instintos, sempre tentando puxar a carruagem para onde os convém. O cocheiro desta carruagem representa a razão ou a inteligência, que segura as rédeas, a nossa vontade.

Nosso equilíbrio advém da racionalização dos nossos impulsos no sentido de nos manter no rumo que escolhemos através dos nossos valores. Quando não conseguimos controlar nossos impulsos, certamente há algo de errado com o cocheiro ou com as rédeas, e a consequência pode ser uma dor na consciência por alguns dias.

(Preciso ver o que houve com o meu cocheiro.)

0 comentários: